"Siamoarrivati."

Tradução:Chegamos.

1 ano atrás

5 Comentários


https://www.duolingo.com/ataskacomeres
ataskacomeresPlus
  • 25
  • 22
  • 21
  • 21
  • 21
  • 637

Chegamos hoje. Chegámos ontem.

1 ano atrás

https://www.duolingo.com/WarsawWill
WarsawWill
  • 24
  • 20
  • 20
  • 18
  • 18
  • 12
  • 11
  • 7
  • 7

Nas paginas de conjugação, ambos "chegámos" e "chegamos" são dados para o pretérito perfeito, e parece que, de acordo com o Acordo Ortográfico de 1990, o acento é agora facultativo.

"Assim, atualmente, são igualmente corretas as frases seguintes:
«Quando é que nos encontramos?» (presente do indicativo) «Lembras-te de quando é que nos encontramos/encontrámos?» (pretérito perfeito)."
https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-acento-nas-formas-de-preterito-perfeito-pos-ao/31897

https://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/2678

Me parece que o uso da versão com acento é ainda comum no português de Portugal. Seria interessante saber se seja uma diferença entre o uso em Portugal e no Brasil aqui.

1 ano atrás

https://www.duolingo.com/RuiBrando5

É de facto uma diferença entre Portugal e o Brasil. Devido à nossa (portuguesa) forma de pronunciar, o acento obriga a abrir a vogal, que no caso contrário é pronunciada fechada. Assim o acento indica a distinção oral entre o passado (vogal aberta) e o presente (vogal fechada).

3 meses atrás

https://www.duolingo.com/RuiBrando5

O recente acordo ortográfico que obriga todos os países de língua portuguesa (e não só Portugal e o Brasil) procurou unificar a ortografia do português. Mas em certos casos não foi possível essa unificação sem pôr em causa a pronúncia em vigor em cada país. Nestes casos adoptou-se a chamada "dupla forma". É o caso em questão, do acento na primeira pessoa do plural do pretérito perfeito dos verbos terminados em "ar". Haver duas formas não e o mesmo que ser facultativo. Uma das formas é usada onde é necessária por razões de pronúncia e a outra forma é usada em países onde essa questão não se põe. Outro exemplo é o das chamadas consoantes mudas. Em Portugal escrevia-se, por exemplo, "optimo" e "acto" mesmo sem o "p"e o "c" serem pronunciados. Estas consoantes foram suprimidas com o acordo ortográfico. Mas se a consoante é pronuncida, adoptou-se a dupla forma: em Portugal a consoante mantém- se e no Brasil escreve-se sem a consoante. É o caso, entre outros da palavra "facto" que em Portugal se pronuncia fakto e por isso o "c" mantém-se e no Brasil se escreve "fato".

3 meses atrás
Aprenda Italiano em apenas 5 minutos por dia. De graça.