1. Fórum
  2. >
  3. Tópico: Italian
  4. >
  5. "Mio padre mi ha fatto lavare…

"Mio padre mi ha fatto lavare la macchina."

Tradução:Meu pai me fez lavar o carro.

August 29, 2017

15 Comentários


https://www.duolingo.com/profile/ataskacomeres

" Meu pai fez ME lavar o carro"Port. Meu pai ME fez .....Brasil


https://www.duolingo.com/profile/RuiBrando5

Correção: em Portugal é "O meu pai fez-me lavar o carro" (precisa do artigo definido e do hífen a ligar o pronome ao verbo). Rejeitado em 16/04/2019.


https://www.duolingo.com/profile/joseraulfa

nao seria ho fatto , eu na pessoa


https://www.duolingo.com/profile/nvillasboas

E por que não pode ser lavar a máquina? Foi rejeitado.


https://www.duolingo.com/profile/bonfim52

Meu pai me fez lavar o automóvel. Este duolingo , ás vezes, é muito imbecil.


https://www.duolingo.com/profile/french_jonathan

'Meu pai fez me lavar' o carro está correto em português europeu


https://www.duolingo.com/profile/RuiBrando5

Não sei a que país europeu se está a referir. A Portugal não é de certeza. Por cá usamos: "O meu pai fez-me lavar o carro." Na sua versão, para ser portuguesa, faltou o artigo definido "o" antes de "meu pai" e o hífen ("-") a ligar o pronome ao verbo fazer: "fez-me".


https://www.duolingo.com/profile/french_jonathan

O Português não é a minha língua materna. Eu sei que é preciso um 'o' antes de 'meu pai' mas só havia um 'o' no exercício. Salvo erro não tem hífen. Só acho estranho não aceitar esta forma 'fez-me' que é mais comum em Portugal. Não domino as particularidades de construção das frases em PT brasileiro.


https://www.duolingo.com/profile/RuiBrando5

Entendo, Jonathan. De facto este exercício suscita algumas questões que põem em evidência certas diferenças mais comuns entre o português do Brasil e o português de Portugal. Diferenças que se recortam, é preciso dizê-lo, sob um fundo geral largamente comum às duas versões da língua portuguesa. Mas o facto é que quando estas diferenças se revelam o Duolingo pende sistematicamente para o lado brasileiro e rejeita com frequência as respostas quando estão de acordo com a versão europeia do Português. As diferenças em causa neste exercício são duas:

(1) O artigo definido e adjetivo possessivo. Este artigo usa-se em conjugação com um substantivo quando este designa uma coisa ou objeto singular e bem definido ou um grupo bem delimitado e definido de coisas ou objetos (plural). Vou dar o exemplo da palavra "gato". Designa um animal. Se estou a referir um gato qualquer digo "um gato" (artigo indefinido). Se refiro um gato particular e bem definido, por exemplo o gato da minha vizinha, digo "o gato". Se acrescento alguma qualificação ou adjetivo continuo a usar o artigo definido. Ex: "O gato da minha vizinha", " o gato preto", etc. A divergência surge quando acrescento um adjetivo possessivo. Em Portugal, pela regra exposta, continuo a usar o artigo definido: "o meu gato". Aqui os brasileiros costumam omitir o artigo e dizer "meu gato", mesmo sabendo que o artigo "o" está sintaticamente ligado à palavra "gato" e não tem nada a ver com o adjetivo possessivo "meu".

(2) A colocação do pronome em relação ao verbo. Na conjugação pronominal dos verbos (verbo + pronome pessoal ) há duas hipóteses (a) o pronome antecede o verbo - próclise: "me conhece, "(b) o pronome vem depois do verbo, ligado a este por um hífen - endóclise: "conhece-me". Se a conjugação é composta a próclise ou ênclise referem-se ao verbo auxiliar. Em Portugal usamos a endóclise na oração principal se for afirmativa e a próclise nas orações subordinadas. Se a oração principal for negativa também usamo a próclise. No Brasil a colocação dos pronomes em relação ao verbo é em teoria simétrica da que se usa em Portugal. Digo "em teoria" porque na prática nota-se um certa fuga ao uso da endóclise. Quando esta é requerida pelas regras do português do Brasil, muitos falantes tendem a usar a próclise com a desculpa de que as regras se aplicam apenas ao português chamado "culto" e eles falam o português "coloquial" (uma variedade do português-br em que as regras de gramática perdem valor).

Estes dois problemas já me custaram muitas rejeições de respostas que considero corretas. O Duolingo já introduziu alguma melhorias em relação a esta questão mas muito continua ainda por fazer.


https://www.duolingo.com/profile/brancasilv1

Automovel é sugerido está certo e deveria ser aceite


https://www.duolingo.com/profile/RuiBrando5

Tem razão. Porém em italiano também existe a palavra "automobile" (que por acaso é do género feminino) e o Duolingo ?decidiu que as duas palavras não são sinónimas. Assim obriga sempre a traduzir "automobile" por "automóvel" e "macchina" por "carro". E é o que eu passei a fazer, apenas para evitar as sempre aborrecidas e frustrantes rejeições absurdas.

Aprenda italiano em apenas 5 minutos por dia. De graça.